segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Os passos que eu dei





Estou dispensando arrogância, AT ALL. Foi-se o tempo da­­s minhas submissões as tuas massagens de ego apoiado nas minhas costas, tal qual um ser supostamente superior que aumenta a própria autoestima marginalizando os seus "inferiores". Eu deixei de ser a menina dos longos cabelos castanhos e olhos vidrados, na verdade, eu deixei de ser isso. Espero que meu nome não chegue mais aos teus ouvidos, assim como diz a música, não quero mais a tua insensatez. Fantasmas do passado já não me causam medo, e o seu amor era por si mesmo. Desculpa – benzinho - mas todo o bem que você me fez não compensou todo o mal. Embora o orgulho atormentado por certas vergonhosas lembranças ainda doa um pouco eventualmente, o coração está de bem com a vida, e debaixo desta ponte, pode ter certeza que já não passam as mesmas águas.

2 comentários:

Caroline disse...

Adorei o post! Diz tudo o que tenho sentido.

Juliana Poiares disse...

que bom, linda :D Obrigada pela visita!