sábado, 17 de dezembro de 2011

Destruidora de sociedade




  Tenho pra mim que os homens, de um modo geral, nunca tiveram muito escrúpulo para relacionamentos, mas no passado eles ao menos fingiam. Afinal, o público alvo exigia tal comportamento. O mercado era, indiscutivelmente, mais criterioso. Não que o cinismo torne a falta de caráter mais honrosa ou digna, mas a banalidade que tomou conta das relações é, no mínimo, nojenta.
   Sinto-me frustrada e incapaz todas as vezes em que me deparo com esses relacionamentos tortos, onde a mulher sempre sai depreciada e marginalizada. Morro de medo de um dia acordar e perceber que fui  enfeitiçada por essa onda de galinhagem que tomou conta, inescrupulosamente, da nossa sociedade. 
  As mulheres antes possuíam algum valor para os homens. Hoje, ao contrário de antigamente, elas não acreditam mais na própria preciosidade, no próprio valor. Então apenas são subdividem em frutas, formando assim uma enorme e excitante feira de corações vazios e corpos malhados. Patético. Não sei se ficou claro, mas isso não conquista homem nenhum, nenhum deles quer colocar uma aliança no dedo da garota que “tretretreme treme a tabaca” todo final de semana na balada!!!!!!!!! Mas ainda sim a mulherada se submete; querem porque querem fazer caras e bocas pros homens, miando a voz e repetindo qualquer frase ensaiada sobre futebol pra tentar parecer interessante, inteligente e atraente. Se não fosse tão trágico, seria até bem engraçado.
   Nenhuma mulher que possui algum respeito próprio vai virar fantoche na mão de canalha a não ser que opte por isso. Existem homens - existem mesmo - que vão optar pela cabeça de cima apesar da biologia tê-lo sacaneado copiosamente. Mas o problema – isso vai soar machista – está nessa MOLHERADA, que só vai enxergar esses homens quando pararem de tentar se enquadrar nessa geração de mulherzinhas sem personalidade que precisam estar com o cabelo escovado e a bunda empinada para não voltarem pra casa sem cantada nova pra anotar “no diário”. Nada justifica o comportamento deles, mas esse comportamento feminino explica, com certeza. Essa doença precisa parar! Nenhum homem vai largar a solteirisse para assumir o sabonete da galera. Nenhum homem vai deixar de ser filho da puta se a garota mais bonita da área continua ficando com ele do jeito que ele é. Homem é folgado por natureza e vai optar pela comodidade sempre que puder. Se a mudança, RADICAL, não partir das mulheres, é ladeira abaixo. O primeiro passo precisa ser dado, e você não vai ficar aí esperando o Rei da Preguiça fazer algo por você, vai?
   Enquanto a bunda não diminuir e o cérebro aumentar, vai ser pente, rala e um coração partido por manhã. Não consigo acreditar que essa classe que queimou sutiã para ter direito ao mesmo nível de conhecimento dos homens não consiga discernir entre modernidade e ridículo. Entre independência e carência afetiva mal curada. Entre ser comunicativa e interessante e ser efusiva e necessitada de atenção!
  Sinceramente? Nenhuma boa menina está livre de penar na mão de um infeliz mal intencionado, mas tudo tem limite. Na maioria esmagadora dos casos, os homens só se comportam desse jeito desinteressado porque encontraram um terreno fértil pra isso; nas festinhas recheadas de meninas lindas e fáceis, nas risadas escandalosas e desnecessárias, nas conversas vazias e apelativas, e principalmente, na falta de controle sobre a própria vida e sobre os próprios interesses por parte das mulheres.
   Repito: O primeiro passo precisa ser dado. A mudança só vai doer no bendito do primeiro passo. Se você quer ser respeitada, apenas se respeite. Ou melhor, mais fácil, apenas não se agrida. Vai dar certo! Todas nós precisamos acordar, nós somos muito mais valiosas do que nossos parceiros nos fazem sentir. 



Por um 2012 mais doce...

5 comentários:

Anônimo disse...

Ótima postagem, talvez a melhor de todo o Blog. Marcando a volta das publicações com chave de ouro. Não sei se é de autoria própria, mas de fato exprime com bastante clareza o caminho tortuoso que a espécie humana descreveu. Um caminho em que buscou-se novos valores, mas esqueceu-se de outros igualmente essenciais. Encerro por aqui, pois tal postagem usa do direito de ser boa e usando desse direito o faz com maestria.

Juliana Poiares disse...

Muito obrigada pelo comentário, gostei muitíssimo e a postagem é sim de autoria própria. Espero receber sua visita mais vezes, e que os próximos comentários sejam sem o Anônimo ;)


Grande beijo!

Inspirada por Deus disse...

Aii Goiabinhaa! Surpreendendooo cada vez mais com esse seu talento pra escrita. Coisa linda e moderna esse texto. AMEEEEEEEEEEI! =)

Caroline disse...

Ei querida, é exatamente por textos como esse que cada vez mais me sinto na obrigação de dizer que te admiro, de verdade.
Você disse muito nesse texto, muitas reclamam da falta de capacidade do homem de amar, mas essas se esquecem que amor próprio também é válido e que esse precisa vir delas.
Se damos espaço para que não ser respeitadas não temos como reclamar.
Adorei!

Juliana Poiares disse...

Oi minhas lindas!

Muito obrigada por estarem aqui mais uma vez, a opinião de vocês é sempre sempre muito importante pra mim.

Deus abençoe s2