segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Tô cultivando muito amor pra te dar



 Você pode esperar? Esperar só mais um pouquinho? Não quero dizer um 'eu te amo' assim,  tal qual um protocolo social. Nesse meio tempo, já me ocorreu muitas vezes vontade de dizer. Mas talvez você não saiba, a menina que aperta sua mão enquanto apoia o rosto no seu ombro já passou por algumas coisas aí que... a deixaram meio assim... dura. Não quero dizer agora, aliás até quero, mas quero menos perto do quanto eu quero te fazer feliz, e a felicidade a gente constrói. Palavras o vento leva, e você é valioso demais para sumir junto com as minhas palavras. Então você pode mesmo esperar? Esperar até que eu tenha coragem de limpar toda a sujeira que eu empurrei pra baixo do tapete? Entre um tijolo e outro desta construção, entre uma varrida e outra dessa limpeza, você ainda vai me ouvir dizer uma, duas ou quinze vezes. Sério. Só pro favor continue assim, tá? Pertinho de mim. Rosto no rosto. Olho no olho. Só prometa não vai desistir, que não vai deixar o outono fazer cair o amor como faz com as folhas lá no quintal. Prometa que vai ao menos tentar fazer por menos minhas misérias e calar minha boca com um beijo quando eu ficar meio patética. Prometa que vai continuar com os dentes cravados no meu pescoço até o frio chegar. Prometa que não vai ser pra sempre, para a decepção ser menor caso ela aconteça. Prometa que não teremos um conto de fadas, para que nos dias em que a chuva molhar o livro eu esteja mais conformada... Só prometa que não será perfeito, porque é a nossa imperfeição que me faz te querer mais e mais a cada dia.

2 comentários:

Caroline ; disse...

aawn que lindo esse texto menina, amei !

Juliana Poiares disse...

Esse é baseado em sentimentos reais.